top of page

AROMADIFUSORES: o que são, benefícios, tipos e como escolher

O QUE SÃO

Os aromadifusores têm a função de propagar no ar as partículas dos óleos essenciais ou essências (neles colocados), transmitindo ao ambiente um aroma agradável, e proporcionando uma enorme – e instantânea – sensação de relaxamento e bem-estar, assim como benefícios terapêuticos, caso se recorra a óleos essenciais.


Os aromadifusores começaram por ser utilizados em sessões de aromaterapia, mas a sua crescente popularidade rapidamente os tornou num acessório de uso doméstico, no escritório ou em estabelecimentos comerciais, sobretudo da área da saúde.


BENEFÍCIOS

Os difusores podem ser utilizados com essências, óleos essenciais ou sinergias naturais (mistura de óleos):


1) Com essências, apresentam benefícios a nível emocional e sensorial, por via do olfato (área a que se dedica a “aromacologia”). O olfato é o único sentido cujos estímulos são diretamente transmitidos para o sistema límbico – ou “cérebro emocional” – que é a parte do cérebro responsável pelas emoções, o comportamento e a memória, que por sua vez estimula o “sentido polisensorial”, despertando diversos sentidos.


2) Com óleos essenciais (ou sinergias naturais), aos benefícios das essências são acrescentados os benefícios terapêuticos, por via da inalação das partículas dos óleos essenciais (campo de estudo da “aromaterapia”). Através do sistema respiratório – via pulmões – as propriedades (terapêuticas) dos óleos inalados atingem a corrente sanguínea, sendo posteriormente bombeadas pelo coração para todo o corpo.


Aromatizar com óleos essenciais tem ainda outros benefícios como, por exemplo, o de ser um ótimo repelente natural de mosquitos.


“No cheiro reside a própria essência da alma, ele permeia tudo de uma forma pertinente e tem a capacidade de abrir as portas do inconsciente, a partir do qual as cenas mais agradáveis e mais dolorosas são semeadas”

Mercedes Pinto Maldonado

Prestigiada escritora espanhola, licenciada em medicina


4 TIPOS/MÉTODOS DE FUNCIONAR

Apesar de todos os aromadifusores terem a mesma função, em termos do procedimento utilizado – para propagar ou vaporizar as partículas dos óleos/essências – existem 4 tipos de aromadifusores:


1. EVAPORATIVOS

Difusores em que a evaporação do óleo essencial se dá de forma natural, em virtude do carater volátil dos óleos.


Há modelos:

  • Sem eletricidade (com varetas, pessoais, pedras aromáticas decorativas, etc.), que contêm uma substância porosa (cerâmica ou madeira) que absorve e posteriormente liberta o óleo;

  • E elétricos, com uma ventoinha que incide sobre a “almofada” ou bola de algodão onde se colocam as gotas de óleo, para estimular o processo.


Aromadifusor (Evaporativo) com Varetas



Aromadifusor (Evaporativo) com Ventoinha


VANTAGENS

  • Aromatização prolongada (e subtil)

  • Pouca manutenção (não necessitam de reposição diária)

  • Portabilidade (relativamente pequenos)

  • Silenciosos

  • Económicos

  • Ideais para áreas pequenas (lavabos, mesas de escritório, etc.) dada a pouca intensidade da difusão

  • Seguros, pois não recorrem a fogo nem eletricidade (à exceção dos modelos com ventoinha)

  • Os modelos elétricos também refrescam o ambiente (graças à ventoinha), e a maioria pode ser ligado por USB (para facilitar a colocação perto do computador, por exemplo)


DESVANTAGENS

  • Baixa capacidade de difusão

  • Não difunde os componentes dos óleos uniformemente – os componentes mais leves evaporam mais depressa – o que reduz o seu valor terapêutico


2. AQUECIDOS


Difusores em que a evaporação do óleo essencial é estimulada por via da aplicação de calor.


Há modelos:

  • Elétricos, com lâmpadas ou uma resistência elétrica;

  • E sem eletricidade (com velas), as velas aromáticas e os “clássicos” queimadores de óleos/essências.


Aromadifusor Aquecido Elétrico “Vera” (Terpenic Labs)



Queimador de Óleos/Essências (aromadifusor aquecido não elétrico)


VANTAGENS

  • Económicos

  • Silenciosos

  • Fáceis de utilizar e limpar

  • Os queimadores de óleos/essências são os humidificadores mais económicos (basta diluir o óleo em água)


DESVANTAGENS

  • O calor altera a composição química do óleo, diminuindo as suas qualidades terapêuticas - deste ponto de vista, os difusores elétricos são uma melhor opção, por terem uma temperatura regulada: mantendo o calor entre os 45 e os 55º, a desconfiguração do óleo - e consequente perda de eficácia terapêutica - é menorizada

  • Os queimadores de óleos/essências são particularmente desaconselhados, porque além de poderem queimar o óleo (se a temperatura for excessiva): requerem supervisão, uma vez que se o recipiente ficar sem água, a cerâmica queima, fica um cheiro desagradável (a queimado) e até pode partir; e a mistura dos aromas dos óleos essenciais com o da vela reduz a sua eficiência terapêutica

  • Curta duração de difusão: o óleo tende a evaporar rapidamente, precisando de ser reposto a cada 4 horas (em média)

  • Os modelos sem eletricidade, por necessitarem de fogo (velas), são potencialmente mais perigosos, pelo que são desaconselhados sobretudo em locais com crianças ou animais domésticos, e NUNCA podem ser deixados acesos durante a noite


3. ULTRASSÓNICOS


Difusores em que o óleo essencial, (necessariamente) diluído em água, evapora por meio de intensas ondas (16 a 20 megahertz) de vibração (ultrassónicas), ou seja, sem recorrer a calor.


Dada a necessária diluição do óleo em água, e a sua consequente vaporização, estes difusores também são humidificadores. Apenas existem modelos elétricos.


Alguns modelos também potencializam a ação terapêutica misturando aromaterapia com:

  • Cromoterapia (“terapia das cores”), ao emitir uma ou diversas tonalidades de luz (calmantes);

  • E/ou musicoterapia (“terapia da música”), sendo equipados com altifalantes para o efeito (tocar música).



Aromadifusor Ultrassónico “Narguila” (Terpenic Labs)



Aromadifusor Ultrassónico “Lira” (Terpenic Labs)



Aromadifusor Ultrassónico “Bruma” (Terpenic Labs)


VANTAGENS

  • Mantêm as propriedades dos óleos mais intactas do que os difusores que recorrem a aquecimento, por ser um modo de difusão a frio

  • Aos benefícios da aromaterapia aliam os da humidificação, que além de aumentar o conforto térmico, tem efeitos antibacterianos e antivirais, purificando/ionizando o ar e auxiliando na prevenção de doenças respiratórias como bronquites, sinusites, crises de asma, gripes e resfriados

  • Longa duração de difusão, em virtude da diluição do óleo em água, e da grande dimensão do recipiente

  • Em relação aos NEBULIZADORES*, além da questão da humidificação, é mais económico (consome menos óleo) e silencioso

  • Sendo o tipo de difusor mais comum no mercado, existem muitos modelos disponíveis, com diversos designs e funcionalidades


DESVANTAGENS

  • Em virtude da diluição do óleo em água, tem uma eficiência terapêutica inferior à dos NEBULIZADORES* (em que o óleo não é diluído), e cobre áreas menores

  • Precisa de ser limpo com uma certa frequência

  • Não suporta óleos cítricos, porque os seus ácidos podem corroer (gradualmente) o difusor

  • Muitos são inconvenientes para a difusão noturna, por terem luzes que não se podem apagar


*Os aromadifusores ultrassónicos e nebulizadores são os modelos (elétricos) mais recentes do mercado, daí o enfoque na comparação entre ambos.


4. NEBULIZADORES


Difusores em que o óleo essencial – não diluído em água – evapora por meio do processo de nebulização. Baseado no princípio de Bernoulli, este método decompõe/atomiza os óleos essenciais em micropartículas (gotículas), formando uma “nébula” (névoa), recorrendo a:

  • Alta velocidade;

  • Fluxo de ar pressurizado;

  • E um bocal de jato especialmente projetado para a nebulização.


Em relação ao ULTRASSÓNICO, por não se diluir o óleo em água, a difusão é mais concentrada/intensa (o aroma é mais forte) e, devido à mecânica de nebulização, ocorre quase instantaneamente. Apenas existem modelos elétricos.



Aromadifusor Nebulizador “Nebula Q” (Terpenic Labs)



Aromadifusor Nebulizador “Prisma” (Terpenic Labs)


VANTAGENS

  • Melhor difusor do ponto de vista da aromaterapia, por ser o que melhor mantem as propriedades terapêuticas dos óleos essenciais, dado que:

    • Não os dilui em água (contrariamente aos difusores ultrassónicos)

    • Nem os aquece, minimizando o potencial da sua alteração química

  • A maioria dispõe de um temporizador integrado, para controlar a duração da difusão

  • Simples de utilizar (a maioria não requer configurações complexas)

  • Ideal para áreas amplas, dada a concentração da difusão


DESVANTAGENS

  • Difusor mais caro, tanto na compra como na manutenção: como difunde grandes quantidades de óleo de uma vez, consome-o rapidamente, pelo que necessita de ser recarregado com alguma frequência

  • Alguns modelos são algo ruidosos

  • Geralmente são maiores que os outros tipos de difusores (menor portabilidade)

  • Em relação aos ULTRASSÓNICOS, por não se diluir o óleo, não funcionam como humidificadores e a difusão dura menos tempo, e raramente dispõem de sistema de luz (cromoterapia) ou som (musicoterapia)


COMO ESCOLHER?


Dentro dos 4 tipos de aromadifusores, existem diversas opções, com diferentes materiais, funcionalidades, vantagens/desvantagens e preços.


Para escolher um (difusor), é importante ter em conta, essencialmente:

  • O local onde ficará (área do compartimento, sala, casa de banho, hall, quarto, escritório, carro, etc.), ou se pretendes transportá-lo contigo;

  • E o objetivo específico (aromatizar, terapêutico, decorativo, etc.)

Alguns difusores precisam de ser reabastecidos regularmente, pelo que a autonomia/duração também é um critério relevante, assim como o orçamento, a segurança (particularmente num local com crianças ou animais domésticos), e até mesmo o mero gosto pessoal.


ONDE COLOCAR?


Coloca o difusor a no máximo cerca de 1 metro de altura, para que fique abaixo da altura do nariz mesmo quando se está sentado. Estantes, prateleiras e mesinhas de canto são ótimos candidatos.


Evita colocá-lo:

  • Próximo de saídas de ar, como portas e janelas, para não desperdiçar vapor;

  • E próximo de fontes de calor, porque o óleo é inflamável.

28 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
Post: Blog2_Post
bottom of page